terça-feira, 1 de março de 2016

Verão 2010.Começa a trajetória de Vagner de Freitas, ex estilista e coordenador de eventos.
                Com uma infância tranquila aprendeu com sua mãe a arte de cozinhar e apreciar os sabores da culinária caseira.
                Nada ia tão bem, antes de ingressar neste mundo maravilhoso dos sabores, indo trabalhar em Florianópolis por período tão incerto em sua vida, descobriu lá então sua capacidade de adaptação na área da gastronomia, onde resolveu voltar e construir sua carreira.
                Começa uma aventura: garçom em uma das maiores redes de fast food (Viena) onde aprendeu, mais do que servir, más a logística da comida como tudo era preparado e organizado, então começa atenção aos alimentos seus preparo, seus sabores a junção e a união de tudo, depois aprendeu a servir, "Servir bem para servir sempre".
                Dai pra frente seriam várias as suas aventuras, trabalhando em uma das cozinhas mais tradicionais italiana de São Paulo "Gigetto" com um chef recém-chegado da Itália Stefano Tancredi, onde enfim foi aprimorando seu gosto pela cozinha italiana, tão parecida com a de casa, uma fartura. A organização e manipulação correta dos alimentos eram palavra de ordem,
ainda que longe da cozinha central onde era blinda por cozinheiros mais experientes, em sua cozinha de pré-preparo surgia ali ideias e novos conceitos sob supervisão do Chef. No meio disto tudo então resolveu mudar, afinal sua historia terminaria ali com a saída do Chef. "Não tenho mais nada para aprender por aqui", tanto que planejou sua historia dentro do restaurante que resolveu colocar em prática fora deste ambiente.
                Que em meio esta loucura e sob forte pressão de si mesmo, resolveu assumir seu primeiro posto de cozinheiro então sua batalha começa, saindo do centro de São Paulo indo para uma das ruas mais cobiçadas de São Paulo, Oscar freire "Oscar Café" onde aprendeu e provou de tudo por lá, tudo que havia lido e visto em livros, já estava em seu paladar, iniciando em pratos gourmet, sua paixão desde o inicio onde definitivamente pensou era isso que queria para sua vida, não a busca pela perfeição mas sim para aprimorar seus conhecimentos.
                Ser contemporâneo era necessário então "Spot", mais do que acender a luz, mais ali veio somar com que ja havia aprendido
                Apesar de sua pouca experiência eis que "Cirque du soleil" aparece em seu caminho em um momento que crescer era preciso, sendo uma dos mais incríveis trabalhos já realizado, não só pela adversidade da comida, mas sim um contato com uma cozinha internacional, irreverência dos Chef e a montagem de cozinha em container divididas em tendas, mostra uma logística perfeita, onde destacou-se pelo seu ótimo trabalho na área de Gard manger e também na pista quente.
                Faltando ainda mais uma única coisa, não para torna-lo perfeito, mas sim para se preparar para algo maior, agilidade seria a palavra de ordem, onde então "Di Cuntto" mais uma vez a culinária italiana volta para suas veias, de uma maneira mais ágil e rápida, afinal uma média de 150 a 200 pratos nos finais de semana, seria perfeito para manter sua atenção, agilidade e controle sob a cozinha, sob pressão lógico, mesmo sendo uma cozinha de finalização sua atenção se voltava de como eram feitos os molhos para assim recria-lo posteriormente.

                Aos poucos foi se transformando de stward para então Sous Chef em uma padaria Gourmet, "7 Molinos", montando cardápios semanalmente na hora do almoço, explorando texturas e sabores, aonde vai parar não se sabe, mas uma coisa é certa esse rapaz vai longe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário